Kiai

O Kiai é um grito de guerra que serve para aumentar, acelerar ou expor a força de ação do lutador. Utilizado também como comando para organização e disciplina durante o treino.

Se for usado fora de hora, pode ter resultados indesejados 🙂

O Spine da flecha

Spine – de onde vem esse número?

A vareta possui uma medida que indica sua flexibilidade, o que influencia na calibragem do conjunto para a prática. Esta medida influencia em muitas coisas como a segurança do material e o paradoxo do arqueiro, tópicos que tratarei em outros posts.

A medida do spine da vareta é obtida a partir do deslocamento (flexão) produzido com a aplicação de uma carga no centro da haste.

Para esta medida existem dois padrões, onde em um deles, aplica-se um peso de 2 libras americanas no centro de flecha uma flecha apoiada em dois pontos distantes por  de 26 polegadas.

 

Este é o padrão ATA, mais antigo e conhecido também como old AMO standard” .

 

No padrão moderno ASTM F2031-05, usamos 28 polegadas para a distância entre os pontos de apoio e aplicamos uma carga de 1.94 libras ao centro.

 

Para experiências pessoais construí um medidor no padrão ASTM F2031-05 utilizando um paquímetro.

 


Medindo a deflexão
de varetas em medidor
no padrão
ASTM F2031-05

 

Para o padrão ASTM, obtêm-se o valor do spine multiplicando a distância de deflexão medida em polegadas por mil.

 

Como utilizamos o sistema de medidas em centímetros, criei uma tabela de referência, para obter o valor de spine nos diferentes padrões a partir de um medidor no padrão ATA:

 

Deflexão Spine
ASTM F2031-05 ATA (old AMO)
1 mm 800.1 39.4
2 mm 400.0 78.7
3 mm 266.7 118.1
4 mm 200.0 157.5
5 mm 160.0 196.9
6 mm 133.4 236.2
7 mm 114.3 275.6
8 mm 100.0 315.0
9 mm 88.9 354.3
10 mm 80.0 393.7

Devo ressaltar que esta medida é referente à vareta e ainda devem ser levadas em considerações várias outras medidas para se obter o spine real da flecha, como o peso da ponta, o comprimento da flecha, o brace do arco, a forma de disparo e o material da flecha.

O olho dominante do arqueiro

Cada indivíduo possui um olho dominante. Olho dominante é aquele que o cérebro usa preferencialmente para receber as  imagens.  É importante que o arqueiro saiba qual seu olho dominante, pois assim pode-se entender qual o lado dominante para a empunhadura do arco.

 

O método prático para que uma pessoa determine o olho dominante é, com ambos os braços estendidos para a frente, na altura do ombro,  formar um triângulo com os dedos indicadores e polegares e alinhar o interior deste triângulo com um objeto mais longe.

Ao fechar um dos olhos, o alinhamento irá continuar perfeito. Quando se fecha o outro, o alinhamento muda, deslocando-se mais para um lado específico. O olho que apresenta o alinhamento perfeito entre o objeto que está longe é o olho dominante.

 

Erroneamente associa-se o olho dominante ao fato do indivíduo ser destro ou canhoto. Se for destro, o olho dominante seria o direito e para os canhotos, seria o esquerdo. Isso não é verdade e a pessoa pode ser destra e ter o olho dominante esquerdo e vice-versa.

Jiu-Jitsu – Posições e golpes de faixa branca

A formação marcial durante a faixa branca é um dos momentos mais importantes da carreira do atleta, afinal, é nela onde as bases e fundamentos serão trabalhados e dos quais o conteúdo posterior depende, e esta frase se aplica não somente ao BJJ mas também a toda arte marcial.

Neste post eu compartilho com os colegas, o conteúdo que estudei/estudo.
Este mesmo conteúdo não deve ter como objetivo ensinar algo novo ao atleta, mas sim reforçar o que seu professor ensinou.

💡 Veja também os Videos educativos de Jiu-Jitsu faixa branca

Este post também é minha referência pessoal para estudo teórico [menos teoria, mais prática!] então eu deixo ele escrito abaixo, mas lembro que a autoria é do Jaime Custodio que faz um trabalho excelente. Estude direitinho e você poderá ser um faixa preta, assim como Elvis 🙂

Guardas

Guarda Fechada

Quando um dos lutadores envolve as pernas pela cintura do oponente, cruzando os dois pés “fechando a guarda” e mantém um certo controle sobre sobre o corpo do adversário, ficando com os braços livres para trabalhar ataques como estrangulamentos e chaves de braço.

 

Guarda Aberta

Guarda aberta por conceito é toda a guarda que não é fechada 😉 buscando ter o domínio do adversário, sem prendê-lo entre suas pernas e sem cruzar os dois pés.

Meia Guarda

É a posição onde o Guardeiro domina uma das pernas do Passador utilizando suas duas pernas, normalmente fechando um triângulo.

Meia Guarda Profunda (Deep guard)

É uma variação da meia guarda normal, onde o Guardeiro além de dominar uma das pernas, ele “se aprofunda” e trás o passador para cima , mantendo dominada a outra perna ou a lapela do passador. A Meia Guarda Profunda, é uma posição muito utilizada para pegar as costas, onde o guardeiro, gira por dentro das pernas do passador, fazendo pegada e indo para as costas, e também utilizada para transição para colocar a Guarda X.

Guarda Aranha

Consiste em dominar ambas as mangas do adversário, colocar os pés na altura do bíceps do Passador, estendendo uma das pernas e flexionando a outra. Para manter o domínio do Adversário, a extensão e a flexão de pernas deve ser alternada. Esta guarda possui diversas possibilidades de ataque, sendo muito trabalhadas raspagens e ataques como omoplata, triângulo.

Guarda Meia Aranha

É uma posição criada no Jiu Jitsu moderno, que possui princípios de Meia Guarda e de Guarda Aranha. Consiste em basicamente em dominar uma das pernas do Passador com a sua perna de dentro, e com a perna de fora, colocar o pé no bíceps do adversário.

Guarda Laço / Lasso Guard

Trata-se de uma guarda onde são dominados os dois braços do oponente, uma das pernas gira por fora do braço e é colocado o pé em forma de ganho por trás do tríceps/axila do adversário, enquanto o outro pé fica no quadril. Existem muitas raspagens feitas desta posição, e ela também é muito utilizada para a finalização omoplata.

Guarda De La Riva

Usada para manter controle a distancia utilizando um ganho em uma das pernas, e controlando o adversário com a outra perna. 

💡 Veja The Evolution of the De la Riva Guard

Guarda X

Uma guarda exclusiva para raspagens e para fazê-la você deve abraçar uma das pernas do adversário e traze-la próximo ao seu pescoço, com a mão que abraçou a perna, você deve fazer pegada na sua lapela. Com as duas pernas você deve cruza-las em forma de X na outra perna do adversário, com a mão que estiver solta você deve trabalhar pegadas nas mangas, na faixa ou na lapela. Neste momento seu adversário estará totalmente desequilibrado, momento ideal para efetuar a raspagem.

Guarda Borboleta

A guarda borboleta é uma Guarda aberta, porém sentada, onde o guardeiro não coloca as costas no chão. Consistem colocar os dois pés juntos (sola do pé com sola do pé), e ficar na posição parecida com a do alongamento Borboleta.

As mãos e os braços devem trabalhar da seguinte forma, com uma das mãos deve-se dominar um dos braços do oponente, e com a outra mão esgrimar o outro braço e fazer pegada na faixa ou nas costas.

Guarda Tartaruga

Com um falso aspecto de “estou me defendendo”, quem faz a guarda tartaruga pode optar por fazer diversos ataques, seja capotar um adversário mais pesado, seja abraçar uma das pernas e quedar, ou até mesmo rodar e atacar um abraço. Este posição é onde o guardeiro fica de 4 apoios, e se fecha totalmente, evitando estrangulamentos e a pegada pelas costas.

Guarda Emborcada

Feita depois que o passador tem domínio da faixa ou do fundilho da calça, erguendo o guardeiro, fazendo com que suas pernas fiquem próximas aos seus ombros. O guardeiro, não deixa executar o movimento completo de capotagem, mantendo-se com a guarda.

Guarda 50/50 (fifith / fifith)

Os dois atletas estão fazendo guarda e possuem as mesmas possibilidades de ataques e defesas. Ela acontece quando os dois atletas cruzam as pernas entre si, de dentro para fora.

Guarda Tornado

Posição que exige flexibilidade de cervical e força na lombar, a guarda tornado, consiste em deixar uma perna entre as pernas do adversário, rodar com o quadril para o lado oposto, segurar um dos braços e pendular com a outra perna até conseguir raspar.

Worm Guard / Guarda com lapela / Guarda Minhoca

É feita a partir de um misto de guarda laço e guarda De la Riva. Para executa-la, é necessário dominar uma das lapelas, fazer a guarda laço na lapela dominada, passar a lapela debaixo da perna oposta do oponente, fazer pegada nesta lapela com a mão do mesmo lado que fez a guarda laço, e com a outra perna vai trabalhando a guarda De La Riva e outros ganchos.

Rubber Guard (Guarda Borracha)

Variação da guarda aberta, onde utiliza-se uma das pernas e o braço oposto a perna escolhida , cruza-se a perna pelas costas do adversário segurando com o braço, a palma da mão deve ficar virada pra cima, e o antebraço deve ficar na lateral do pescoco. 

Na próxima página: chaves, imobilizações, raspagens,passagens de guarda e estrangulamentos

Armas orientais antigas

Algumas das muitas armas orientais antigas:

 

  • Bo: bastão de madeira com comprimento entre 180 cm e 200 cm.
  • Bokken: espada de madeira que simula uma katana ou kodachi.
  • Hanbo: bastão de madeira com comprimento entre 90 cm a 100 cm.
  • Jitte: arma usada para a pratica do Jittejutsu, a palavra Jitte significa dez mãos (ju=dez e te=mão), referência à força criada pela alavanca, capaz de desarmar ou quebrar as espadas.
  • Jo: bastão de madeira, tem aproximadamente 150 cm de comprimento.
  • Kama: ferramenta tradicional de agricultura proveniente do Japão, semelhante a uma foice, também utilizada como arma. Também utilizada em artes marciais chinesas e coreanas.
  • Katana: espada tradicional japonesa samurai.
  • Kodachi: espada intermediária entre a wakizashi e a katana. Tem aproximadamente 75 cm.
  • Kunai: lâmina de ferro com furo na base.
  • Ninja-to: espada ninja, reta, um pouco menor que a katana, com um lado cortante e um lado rombo.
  • Shinai: espada de treino composta de 4 “varas” de bambu, ponta e empunhadura de couro; pode vir equipada com o tsuba (guarda da espada/shinai, geralmente feito de carbono).
  • Shuriken: arma de arremesso pequena, utilizada por ninjas, muito popularizada no cinema. Por seu formato semelhante a uma estrela é também conhecida como estrela ninja.
  • Tanto: faca tradicional japonesa similar à katana, porém de menor tamanho.
  • Wakizashi: punhal com cabo turvo, similar a uma katana.
  • Kusarigama: espécie de foice atrelada a uma corrente.
  • Kusarifundo: corrente com contrapesos nas extreminades, usado no desarmamento e imobilização.
  • Tanto: adaga de mão utilizada para luta corpo a corpo.
  • Tonfa: ferramenta agrícola em forma de bastão, que passou a ser usada como arma.
  • Naginata: lâmina semelhante a espada, atrelada a um longo bastão, muito utilizada nas cavalarias.
  • Bisento: alabarda, utilizada contra cavalaria.
  • Yari: lança reta ou em cruz.
  • Ashiko: preso ao calçado, ele permitia escalar ou golpear o adversário.
  • Biān: chicote, qualquer tipo de chicote ou chibata
  • Dang: arma chinesa composta por uma haste longa de madeira terminada numa espécie de tridente serrilhado.
  • Dao (Tou em cantonês): facão de wushu ou kung fu.
  • Dardo e corda (shéng biāo) e martelo meteoro (liúxīng chuí): armas de arremesso, presas a uma corda com comprimento entre 4 ou 5 metros, por meio da qual o praticante manipula a arma.
  • Fei biao: pequenos dardos para lançamento no kung fu.
  • Guan dao (Kwan Tou em cantonês): alabarda ou bastão com facão largo na ponta, sua historia está ligada ao guerreiro divinizado Guan Yu (Kwan Kung).
  • Jian: espada reta de corte e perfuração, pode ter lamina extremamente flexível, ela é usada no wushu e no taichijian.
  • Kao wan tou, cantonês para “facão de nove argolas”.
  • Kwan: bastão chinês, em geral da altura aproximada do usuário.
  • Lança de duas pontas
  • Leque (“tiě shān” em chinês, “putchê” em coreano, “tessen” em japonês).
  • Maça
  • Nan dao: facão de lâmina larga e reta.
  • Pu dao: semelhante ao guan dao.
  • Qiang (tcheang, em cantonês): lança flexível de kung fu.
  • San jie gun: bastão de três seções, chamado San-Chaku no Japão.
  • Juan sing: arma da qual se usa nos pés para furar a pessoa